sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Fernando Tordo apresenta o novo disco «Por este andar»

Fernando Tordo apresenta o novo disco Por este andar e expõe objectos com títulos, colagens feitas de 'tintas, papeis, fotografias, e títulos de temas musicais'.

________

Se um disco der pelo nome de "Por este andar", é possível que tenha canções que se chamem "Diz o Obama". Pode ter acontecido que tenha nascido um neto ao compositor e que ele o tenha posto no mesmo tema com o referido Presidente. Quem sabe?

"As pessoas" são como são, já que as banalidades são melhores se forem ditas. Mas estas pessoas são tão especiais para quem as compôs, que ele afirma, apesar de tudo, que "o melhor são as pessoas". E se uma canção se chamar "A minha guitarra" é apenas o autor a denunciar-se em mais um caso amoroso; se a canção se chamar "Assim azul" é um sinal que o amor pode ser um título intrigante, assim azul?

A mãe do neto Matias é aquela Joana “Joaninha voa, voa...” que o pai compositor lançou pelos ares da cidade,"tens o teu filho em Lisboa..."

Mas há mais, se acaso o homem percebeu alguma coisa do que escreveu e tenta expor agora, pela primeira vez. Ainda ensaiará uma palavra amarga e doce muito especial, para surpresa de tanta gente, sobre a Amy Winehouse.

Em desespero, como se espera, falará de notícias tão loucas como são quase todas as notícias, "Neste jornal". À beira da derrocada, balbucia que lá ao longe ouve “Vozes amigas”, mas isso já não passa do alvorecer do fim, que é um tipo ficar “Sem palavras”.

Angustiadamente,

Fernando Tordo