sexta-feira, 23 de abril de 2010

Ó


Ó, Nuno Ramos, Ed. Cotovia - 14€

***

Se há, no entanto, alguma dificuldade e esforço na antecipação ou enumeração destes efeitos em nós mesmos, poucas coisas são mais evidentes do que esta amálgama de carne e tempo quando o percebemos nos outros. Tal percepção nos escapa também relativamente aos que nos cercam todos os dias, como se uma capa de continuidade envolvesse nossa vida imediata. É preciso lançar nosso olhar distraído para alguém distante do nosso afeto e de nossa vizinhança - um amigo de infância, uma atriz antiga, um ex-jogador, um conhecido de outra cidade ou país - para perceber todo o estrago, e percebê-lo de imediato, espalhado não em um único ou mesmo em diversos aspetos do rosto ou do corpo que observamos, mas nele inteiro, em absolutamente todos os seus elementos. É à totalidade dos aspectos que a passagem do tempo dirige sua fúria. A doença, espécie cataclísmica e apressada de contato com isso, se por um lado sacrifica com violência algumas partes isoladas do corpo, ao menos diversifica essa homogeneidade, como se o rancor gradativo dos anos se concentrasse em alguns detalhes, e se saciasse com isso. pp. 12-13