sábado, 6 de novembro de 2010

A Fábrica e a Rua - a resistência operária em Almada (11 de Novembro - 21h)

*
LIVRO | A presente obra analisa formas de resistência operária feminina que decorreram no período de construção e consolidação do Estado Novo, no concelho de Almada.Nesta podemos encontrar tanto os discursos e as narrativas das mulheres operárias sobre o seu quotidiano de trabalho, como as memórias épicas das greves e das marchas da fome. A autora constrói uma visão retrospectiva sobre uma época crucial da memória operária de Almada, inscrevendo o seu trabalho num cruzamento disciplinar entre as questões de Género e os Movimentos Sociais, procurando compreender como as mulheres operárias deste período accionaram diferentes gramáticas de acção reivindicativa, escrevendo as suas práticas numa “cultura de resistência”, herdada e simultaneamente construída num contexto histórico particular.

AUTORA | Sónia Ferreira, nascida em 1976, em Lisboa, é doutorada em Antropologia pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (2009), tendo trabalhado sobre Movimentos Sociais, Género e Memória. Integrou o Centro de Estudos de Etnologia Portuguesa, sendo actualmente investigadora do CRIA (Centro em Rede de Investigação em Antropologia), onde tem desenvolvido investigação de pósdoutoramento na área da Antropologia dos Media e das Migrações. Leccionou na Escola de Superior de Comunicação Social (IPL) e é conferencista no Mestrado “Migrações, Inter-etnicidades e Transnacionalismos” (FCSH-UNL). É autora da obra "Mulheres de Desaparecidos" (Ela por Ela, 2003).