sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Últimas entradas...

. Catastrophisme, administration du désastre...

. Image et Pouvoir

. Défense et illustration de la novlangue française

. Introduction au cinéma de Guy Debord

. Origines de la Poésie Persane

. Une Histoire Politique du Cinéma

. 1968 - Fins et Suites

. Déshumanisation de l'art, La

. Du Communisme au Capitalisme

. Éthique, L'

. Hypothese Communiste, L'

. Idéologie et Terreur

. Idéologie Froide, L'

. Invention de la Tradition L'

. Musulmans et Chrétiens dans le haut Moyen Âge

. Notre patience est a bout

. Optimisme de la volonté, L' 1

. Penser Agir

. Populisme Autoritaire, Le

. Socialisme selon Marx, Le

sábado, 9 de janeiro de 2010

GRAFFITI Single + Exposição de Tiago Taron

Júlio Pereira, Tiago Taron, a Ler Devagar e a Galeria Arthobler têm o prazer de a/o convidar para o lançamento de GRAFFITI no dia 15 de Janeiro, pelas 18h.

___

Júlio Pereira alia a música à escrita de Tiago Torres da Silva e à pintura de Tiago Taron para lançar o seu primeiro disco de canções.

O projecto, em constante construção, será apresentado com o lançamento do CD Single (vozes de Maria João e Luanda Cozzeti) e com a inauguração da exposição de Tiago Taron.

Venha brindar e conhecer esta nova equipa GRAFFITI! Um projecto virado para a rua.

___

APRESENTAÇÃO DA EXPOSIÇÃO | No ano passado Júlio Pereira convidou dois Tiagos, por acaso igualmente Capricórnios, para o acompanharem no seu novo projecto de canções. Pela primeira vez Júlio Pereira ia compor uma série de canções. Para escrever as letras conseguiu cativar um dos maiores escritores de canções – Tiago Torres da Silva, para ilustrar o ambiente dessas canções convidou-me a mim. O resultado do que fui fazendo é a maior parte dos trabalhos expostos e que continuam os anteriores, alguns dos quais acompanham os novos, como família que são. Graffiti porque as canções são da rua e têm as cores e as palavras o bem caçado dos graffitis que, como escreveu João Luís Oliva, nos olham, antes mesmo de os vermos.

Durante dois meses, à medida que os desenhos iam sendo feitos, foram os mesmos publicados na página do Facebook criada para o Projecto Graffiti, tendo constituído a primeira parte do projecto a ser revelada. Entretanto, em simultâneo com o lançamento do disco, são mostrados os trabalhos que estiveram na origem da sua capa e do desenho do próprio disco (“CD”).

O lugar escolhido para o lançamento e a exposição, a LER DEVAGAR e a GALERIA ARTHOBLER, quer pela sua localização, na surpreendente e promissora Lx Factory, quer pela alegria urbana e abertura à história em curso nesta espécie de nova Lisboa espontânea, não poderia ser mais de acordo com o ambiente que se procurou criar com este novo projecto de Júlio Pereira: virado para a rua, para a vida que se vive na rua.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

RG Trio

Concerto dia 22 de Janeiro, pelas 22h - entrada 5€

ROGÉRIO GODINHO (Piano e Voz) | Nascido em Agosto de 1976, iniciou a sua formação musical aos 7 anos de idade estudando piano. Aos 15 anos, começa também a cantar.

No ano 2000, tornou-se claro que a linguagem em que verdadeiramente se queria expressar musicalmente era o Jazz. Foi então que passou a ter aulas particulares de piano e voz, vocacionadas para este estilo musical, respectivamente, com Jesse Chandler e Joana Rios.

Em 2005, inscreve-se no Hot Clube de Portugal (HCP), sendo colocado no 2º ano do curso a “full time” de piano e voz. Aí, teve aulas de piano com os professores Rui Caetano e Filipe Melo e aulas de voz com Joana Rios e Paula Oliveira. Fez parte da Big Band dos Alunos do Hot Clube, como pianista e cantor, tendo actuado, nomeadamente, no Freeport, Ondajazz, Festival de Jazz de Palmela e Festas de Lisboa. Concluiu o curso do HCP em 2009. Paralelamente às aulas do Hot Clube, teve também aulas de técnica vocal com o Prof. Rui de Luna.

Actualmente frequenta a licenciatura de Jazz, na Universidade de Évora, em piano.

ANDRÉ MOTA (Bateria) | Nasce em Lisboa em 1986. Inicia os estudos de bateria aos 14 anos, na escola Musicentro, no Colégio Salesiano – Oficinas S. José, onde tem aulas com Zé Moreira. Em 2003 ingressa na escola de jazz do Hot Clube de Portugal, onde tem a oportunidade de estudar com Henry Sousa, Bruno Pedroso, Nelson Cascais, André Fernandes, Afonso Pais, Filipe Melo, entre outros. Estudou ainda com Michael Lauren, Jim Black, e Alexandre Frazão. Em Maio de 2008, estreia o seu quarteto no Festival de Jazz de Portimão, actuando, desde então, em diversos clubes e pequenos auditórios do país. Para além deste projecto, mantém-se ocupado, tocando com o Quarteto Moderno, ANISOTROPUS, Alípio C. Neto Trio, entre outros. Já teve a oportunidade de colaborar com Pedro Madaleno, Jorge Reis, Yuri Daniel, Nathan Fuhr, Ernesto Rodrigues, Nuno Rebelo, Sei Miguel, entre outros.

ANDRÉ FERREIRA (Contrabaixo) | Iniciou os seus estudos na música aos 14 anos, tendo começado por tocar baixo eléctrico, especialmente no estilo Rock. A partir de 2004, o seu interesse pelo Jazz foi crescendo, vindo, em 2006/2007, a frequentar a Escola de Jazz e Música Moderna do Seixal onde teve aulas com Fernando Costa (baixo eléctrico) e Jorge Chainho (guitarra).

Mais tarde, em 2008, ingressou na escola de jazz do Hot Clube de Portugal, onde tive aulas de contrabaixo e/ou workshops com os contrabaixistas Nelson Cascais, Demian Cabaud, Nuno Correia, Miguel Amado, Miguel Leiria Pereira, com o saxofonista Jesse Davis, com o pianista Franck Amsallem, João Moreira, Bruno Santos e Nuno Costa.

Durante o presente ano (2009), já a tocar contrabaixo, tem trabalhado, para além do RG TRIO, em algumas áreas bastante divergentes do jazz, como: o flamenco, num projecto liderado pelo guitarrista Xavier Llonch (El Camiño Flamenco); e o rock (Abóboras). Participa ainda em ArtFusion (jazz de fusão), Best Before Full Moon (projecto de originais), Kapthen’s Quartet, Pal Joey Band e no Savan’trio.

Mais informações: aqui

Exposição Vidas a Descobrir

Inauguração da Exposição Vidas a Descobrir - 4 de Fevereiro, 19h.

Imagens do mundo da arqueóloga Niède Guidon (Brasil) e da epidemiologista Amabélia Rodrigues (Guine-Bisssau). Diferentes culturas e desafios numa mesma procura da verdade científica.

Niéde e Amabélia são duas das dez mulheres lusófonas cujas histórias, relatadas por vários jornalistas, escritores e fotógrafos, foram reunidas no livro Vidas a Descobrir. Um projecto da Associação Viver a Ciência (VAC) que tem como objectivo romper com estereótipos, dando a conhecer mulheres de várias gerações, culturas e etnias que contribuíram decisivamente para as áreas científicas em que trabalham.


As fotografias apresentadas nesta exposição foram captadas em 2007 e 2008 por Joana Barros e pelo premiado fotógrafo brasileiro Juliano Gouveia, na Guiné-Bissau e no estado brasileiro do Piauí, respectivamente.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Inocente / Not Guilty

A Ler Devagar e Academia do Livro têm o prazer de a/o convidar para o lançamento do livro Inocente / Not Guilty, de Patrícias Lucas e Nicolas Bentos, a ter lugar no dia 14 de Janeiro, pelas 19h. A apresentação estará a cargo de Maria José Morgado e José Alberto Carvalho.

LIVRO Em Dezembro 2005 a namorada de Nicolas desaparece e deixa a mala em sua casa. Durante semanas anda desesperado à sua procura, sem que a polícia nada faça, apesar dos seus gritos de desespero. Quando o corpo aparece, Nicolas é considerado culpado porque na última imagem de Kamilla, captada por uma câmara da cidade de Bedford na noite em que desapareceu, a polaca estava com a mala ao ombro. Esta foi a conclusão de um especialista forense norte-americano que mentiu em tribunal e sustentou a condenação de Nicolas a prisão perpétua.

Durante os dois anos e meio que passou na ala dos criminosos mais perigosos em prisões do Reino Unido, Nicolas e a família lutaram sem nunca perder a esperança, contra tudo e contra todos, numa verdadeira prova de fé e de determinação.

Esta é a história, contada na primeira pessoa, de um português envolvido numa teia de mentiras e numa conspiração internacional, em que a Justiça passou para segundo plano. Esta é uma história que pode acontecer a qualquer um de nós.

AUTORES PATRÍCIA LUCAS estudou Jornalismo na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Começou a sua carreira no programa Acontece da RTP 2 de onde saiu para o CNL, o primeiro canal de informação de Portugal. Dois anos depois integrou a delegação da RTP – Centro em Coimbra, onde também trabalhou na Antena 1. Algum tempo depois, regressa a Lisboa, trabalhando na equipa do Telejornal da RTP. Formou, com outros colegas, o programa 30 Minutos, coordenado pela jornalista Judite Sousa e actualmente é uma das repórteres da grande reportagem da RTP, no programa Linha da Frente.

NICOLAS BENTO nasceu em Luanda, Angola, há 30 anos, no seio de uma família que não hesita em dar provas de amor e de esperança. Desde cedo revelou um talento particular para o desenho e pintura. A sua paixão mais recente é a fotografia. Hoje tem uma missão: alertar o mundo para as injustiças silenciosas que transformam inocentes em culpados.

Mais informações: reportagem RTP: aqui

sábado, 2 de janeiro de 2010

Lançamento do Livro...

Lançamento do livro Construção da Nação e Associativismo na Emigração Portuguesa, de Daniel Melo & Eduardo Caetano da Silva (org.), ed. ICS, no próximo dia 9 de Janeiro (sábado), pelas 19h. A apresentação estará a cargo de Onésimo Teotónio de Almeida.

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Últimas entradas...

Revista Znok n.º 1
Revista Znok n.º 2
Revista Znok n.º 3
Revista Znok n.º 4

2666

A Ler Devagar informa que ainda se encontram disponíveis quatro exemplares da edição especial da obra-prima de Roberto Bolaño, 2666. Mais informações sobre esta edição: aqui.