terça-feira, 22 de março de 2016

Exposição de Pintura "Cartografias" > Teresa Ribeiro > 27 Abril a 15 Maio


Cartografias, mesmo!

(…) É que quem tem vindo a acompanhar a obra da artista, é inevitavelmente levado a verificar que, de facto, de cartografias ela é feita. Na realidade, tanto a série "Movimento dos Sons" (1993), como a de "Paisagens Matéricas" (1999) e a de "Espírito da Matéria" (2002) – talvez as mais significativas neste particular cadastral geográfico –, se apresentam (até pelas designações) como registos bem definidos, nas suas latitudes e longitudes mentais de espaços, signos, essência pictórica, geometrias e volumes, ideários e sensações. 

Sim, sensações, aquilo que em princípio se procura ao observar uma obra de arte. E que nesta série elaborada desde 2012 até agora nos surgem eivadas de dramatismo – já que, por azar do destino, são mostradas num tempo incompreensível de desprezo pela vida humana, em que rios de sangue escorrem para o nosso quotidiano, pontuando uma cartografia que compreende topónimos como Nova Iorque (…) Paris, Bruxelas…

Enfim, a artista não o terá procurado conscientemente e pode parecer abusivo o palavreado de quem lhe apresenta a mostra. Mas nestes dias é quase inevitável a associação, pela violência das manchas vermelhas que Teresa Ribeiro coloca nos suportes, no entanto em contraste com mares de calmaria azul. Por outro lado, sublinha os seus mapas com o esgrafitado nervoso, que de há muito lhe marca a obra, e imaginárias manchas de névoa. Algumas peças são até rasgadas por meridianos e paralelos que dão enquadramento aos territórios pictóricos que se pretende cartografar, disciplinada ou aleatoriamente…. 

Digamos que com este conjunto de massas coloridas e caligrafias abstractas, as cartas com que Teresa mapeia o espaço se tornam parte da nossa geografia pessoal e colectiva, do nosso atlas humano de seres complexos e diversos, de inúmeras vivências definidas por múltiplas coordenadas e outros tantos azimutes. Porque não somos de um único ponto, de um único pólo, de um único continente. Por isso, também, esta exposição se torna tão fascinante.

Joaquim Saial, Abril/2016


BIOGRAFIA        
Teresa Ribeiro
Naturalidade – Lisboa

▪ Formação académica
Licenciatura em Design pela Escola Superior de Belas Artes de Lisboa;
Mestrado em História da Arte pela F.C.S.H. - Universidade Nova de Lisboa.

▪ Associações
Membro de L’ Association des Artistes de France.

▪ Exposição permanente da sua obra
Palácio dos Capitães Generais. Angra do Heroísmo;
Palácio da Madre de Deus, Angra do Heroísmo;T.A.P. Air Portugal, Lisboa;
Colecção de Arte Contemporânea do Governo Regional da Madeira, Funchal;
Colecção de Arte Contemporânea do Museu Regional de Sintra;   Vila Franca de Xira; Museu Mun.do Sabugal; Fund. Bernard Tallés. Marselha, França;
Museu da Cidade de Lisboa; Col. particulares, Portugal e no estrangeiro.

▪ Prémios
1993   Prémio de Pintura Abstracta,Medalha da Cidade Gimont, França
1995   Selecção do melhor artista internacional. Château de Saint-Victor - França;
1995   Prémio do Júri Visitante
- Grand Prix du Languedoc - Roussillon;
- Galerie Jules Salles, Nîmes, França;
1993   Medalha da Cidade de Saint-Galmier. Salon Européen des Beaux Arts - França;
1993   Prémio de Pintura Abstracta. Medalha da Cidade Gimont, França

CONTACTOS :      
- Contactos – Tel.  963 568 822
- Email – r.teresaribeiro@gmail.com

- Site – www.teresaribeiropintora.com