quarta-feira, 1 de junho de 2016

"Raid do Comunismo Erótico sobre a Cidade" > Mário Gomes > Inauguração 15 Junho > 19h00


































[SINOPSE] O Raid do Comunismo Erótico sobre a Cidade
Exposição
As obras são colagens de um work in progress que nasceu da formação de actores num grupo que existiu, nos anos 70/80, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e depois o processo autonomizou-se e foi explorado até aos limites. Tentou criar-se uma nova linguagem sinestésica poesia-música(ritmo)-dramaticidade das imagens, do sexo e do humor. A base eram imagens de revistas erótico-pornográficas da época, com outras revistas e jornais de Artes “institucionalizadas” juntas com os poetas malditos, os livros “negros”, muito cinema e muito Rock and Roll… e o próprio autor como experimentador-criador. Textos políticos. A mistura era confusional. Problemática, caótica. As colagens, ainda hoje se desejam motivo de escândalo e foram finalmente submetidas a um jogo de tipos de impressão, de escalas e de suportes que envolve: postais, posters e serigrafias, além dos originais.
Sugeriu-se a Ramiro Osório e Ana Johnson que trabalhassem algumas dessas serigrafias a que os pintores acederam e se apresentam igualmente.
Performance Teatral
Na inauguração, dia 15 de Junho pelas 19h, realiza-se uma performance multimédia a partir da peça em um acto de Eduardo Sanguinetti, “A decifração do sonho”. Peça vanguardista encenada como um concerto a várias vozes, acentuando os aspectos plásticos e visuais que percorrem todo o texto e em paralelo com as obras expostas. Envolve teatro, dança, vídeo e um concerto ao vivo. Ficará junto com a exposição uma instalação sonora extremamente apelativa à participação: um velho gira-discos pronto a funcionar e discos da época.

PARA MAIORES DE 18 ANOS