domingo, 31 de julho de 2016

"Treze Cordas" > Walter Areia & Rafael Marques > 7 Agosto > 17h


Treze Cordas
Walter Areia & Rafael Marques

APRESENTAÇÃO

A diversidade musical de Pernambuco ultrapassou as fronteiras do Nordeste do Brasil. Seja com a rica percussão, representada por nomes como Naná Vasconcelos, ou pela forte tradição dos instrumentos de cordas dedilhadas, referências nacionais que com as quais se toca do Frevo de Bloco ao Chorinho. Essa qualidade musical é reverenciada por vários instrumentistas como Hermeto Paschoal, Egberto Gismonti e também Hamilton de Holanda, criador e referência mundial no bandolim de 10 cordas, que tem eco em Rafael Marques, único a tocar o instrumento na região Nordeste.
Em contrapartida à escola de cordas dedilhadas, ainda não foi estabelecida uma tradição pernambucana para o contrabaixo na música popular. Tal fato dá grande liberdade a Walter Areia, autodidata reconhecido pelo modo original de tocar um contrabaixo de 3 cordas, criando uma mistura inédita do estilo “gipsy” com o brasileiro.

O SHOW

Contrabaixo e bandolim soando como um só instrumento. Eis o mote do novo projeto dos pernambucanos Walter Areia e Rafael Marques. O dueto, que reúne dois instrumentos aparentemente distantes, estão juntos, criando um repertório de composições próprias, e de grandes mestres da música popular brasileira.
Os arranjos são assinados tanto por Areia, que é ex-integrante da banda Mundo Livre S/A e criador do Areia e Grupo de Música Aberta, quanto pelo bandolinista Rafael Marques, da banda Saracotia. Os dois instrumentistas são versáteis e somam participações em trabalhos que vão da música pop pernambucana (Juliano Holanda, Isadora Melo, Geraldo Maia) até a improvisação, tendo os dois tocado recentemente, com o saxofonista colombiano Antonio Arnedo.

O ÁLBUM

Com o recém-lançado álbum Treze Cordas, ​a dupla pretende dar início a uma turnê desde Lisboa, cidade escolhida pelo contrabaixista de ascendência portuguesa como morada neste segundo semestre do ano.

SOBRE OS MÚSICOS

Walter Areia é contrabaixista, compositor e produtor e, por mais de 13 anos, foi integrante da banda Mundo Livre S/A, precursora do movimento Mangue Beat, com a qual recebeu a Ordem do Mérito Cultural do Ministério da Cultura em 2005 (MinC) e o Prêmio da Música Brasileira de melhor banda de 2012. Areia investe ainda em uma carreira solo, que segue pelo âmbito da música instrumental. Em 25 anos, o artista tocou com nomes internacionais, como o guitarrista norueguês Steinar Aadnekvam; o trompetista grego radicado na França Dominic Ntumous; Arto Lindsay; Naná Vasconcelos e o coinventor do Afrobeat, Tony Allen, os brasileiros Alceu Valença, DJ Dolores; Jacinto Silva; Maciel Salú; Patrícia Polayne; Otto; Paulo Rafael, para citar alguns.

Rafael Marques​, é bandolinista e compositor. Iniciou sua carreira junto ao conjunto de choro Arabiando, que deixou um CD gravado com algumas de suas composições e arranjos. Ao longo de sua carreira contribuiu com seu bandolim e arranjos junto ao trabalho de grandes nomes do estado, tais como Geraldo Maia, Karina Espineli, Xico Bezerra e atualmente compõe o trio de música instrumental brasileira Saracotia.