segunda-feira, 2 de julho de 2018

Poetas sem Rede > 5 JUL > 21H00



Julho é também o mês em que se recorda a morte de Sophia de Melo Breyner Andresen (2 de Julho), e por isso é a nossa poeta de homenagem:

           "Apesar das ruínas e da morte,
           Onde sempre acabou cada ilusão,
           A força dos meus sonhos é tão forte,
           Que de tudo renasce a exaltação
           E nunca as minhas mãos ficam vazias" 

  Sophia de Melo  Breyner Andresen